Luzes da Cidade

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Ternura

O tempo acaba
desaba a ilusão da eternidade
O tempo é para todos tão incerto
enquanto eu tiver tempo
vou procurar ficar bem perto
o mais próximo de você
que jamais me faz sentir deserto
O tempo acaba
para uma ave uma árvore uma flor
para qualquer inseto que for
O tempo é mesmo implacável 
Temos que sempre corrermos 
atrás dele
senhor das horas e dos ponteiros
O tempo acaba
Tudo é efêmero
menos a ternura que perdura
em nós mesmos
quando real vemos
o nosso sonho de amor



Carlos R Gutierrez
poetic model Christine






sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Claro e Escuro

Enquadro na Cidade Nua
o seu retrato junto com a Lua
cercada de luzes do candelabro
que gira solitário
no clube noturno
alternando claros e escuros
nas faces, copos e cacos...


Então entrei num bar
em branco e preto de New Orleans
minhas roupas não são tão novas,
mas estão apresentáveis!
tenho alguns trocados
e um caderno de poemas
para passar toda a noite boêmia
Já dormi, tirei uma pestana à tarde:
um sono reparador.
Nem ouvi os barulhos do lado de fora
abafados pelas perssianasl
Estou pronto para atravessar a noite!
ouvir muitas músicas,
sonhar muitas faces,
beber muitos beijos e abraços!
Mas por via das dúvidas
se nenhuma imagem me seduzir
trago em meu bolso um retrato
que da prisão do papel pode sair
e adquirir vida e movimento
frenesi sobre a mesa
onde dançam copos guardanapos e cinzeiros.
Claro e escuro
lhe procuro nas sombras de todos os muros
nas paredes do clube noturno
no encanto de um clarinete
que lembras películas de Woody Allen
sonhar às vezes vale a pena
só cobra a consumação da nossa imaginação!
Claro e escuro
eu lhe procuro
e absorvo em meu ser lúdico
Carlos R Gutierrez
poetic Model : Chris

Hilda Hilst - FLIP 2018

entopernambuco.com.br/edições-anteriores/77-capa/1387-estimada-senhora-h.html

Fita K7

poema em forma de fita cassete
qual a música que me define?
Time After Time
com toda a sensibilidade de Chet Baker
e porque o tempo
é o que mais me encanta e desafia
o tempo que eu ainda não era nascido
o tempo em que eu nasci
o tempo em que vivo
o tempo do incerto amanhã
o tempo de estudos e gazetas
o tempo do conhecimento
o tempo jogado fora
o tempo real
o tempo ilusório
o tempo que dura uma fita cassete
o tempo que cada canção nela compactada
ainda melhora o nosso tempo de agora
as notas de outrora
a escala que prepara a realização e a frustração
os acordes que nos despertam ou nos adormecem
a melodia do dia em harmonia com o ritmo da noite
os arranjos que encontramos ou dispensamos
para tocar a vida
sempre que possível em alta fidelidade
a fita que preparamos com esmero
seleção e paciência
a fita magnética que toca as músicas prediletas
e tentam tocar o coração da amada
a fita o laço sonoro
que transplanta os meus olhos
e se faz atalho do labirinto dos meus ouvidos
a fita compacta que gira
gira,,,gira...enquanto inspira
ou suspira por alguém
a fita que se por ventura "engripa"
pede o socorro de uma ponta de lápis
ou o chapéu de uma caneta "Bic"
para não perder a sintonia
e sempre sentir sinfonia
a fita cassete
que cabe num envelope
e pode ser uma declaração de amor
Carlos Roberto Gutierrez

Caminho

caminho
sobre pedras
espinhos
linhas e linhos
limbos
folhas
gravetos
asfalto
betume
caminho
não importa
o piso
o assoalho
o cascalho
a areia
caminho
decidido
hesitante
cambaleante
distraído
atento
contra
ou a favor
do vento
caminho
e se não vejo
nenhuma rua
trilha
alameda
beco
invento
traço no papel
uma ou mais
linhas
contínuas
ou quebradas
caminho
nas estradas
amplas
ou estreitas
caminho
pelo alfabeto
assim nada
será deserto
pois tudo pode ser palavra
e toda palavra pode ser verso
pé meia descalço percalço
recorte decote bermuda
pula brejo areia movediça
preguiça cobiça
caminho
cansaço

acossado
Carlos Roberto Gutierrez

Desafinados

Não podemos ficar juntos
tão pouco ficarmos separados
então seguimos desafinados
para provar e prover o nosso amor
para impulsionar e improvisar
uma paixão sem temor
de desafiar o tempo
promissor ou opressor
em seus ritmos:
lento
ou ligeiro
apressado
e todos os seus compassos
e descompassos
os seus ponteiros
em horas agudas graves e agradáveis
com os seus verdadeiros e 
falsos alarmes
com as suas lembranças
badalos de sinos de cobre ou de ouro
e suas cobranças de horas inadiáveis


Não podemos ficar juntos
num idílico duradouro
mesmo com tantos assuntos
sustos surtos de surpresas
tão pouco ficarmos separados
mesmo com tantos muros
concretos apuros
cercas implacáveis
el´tricas emotivas
ou de arames farpados
medos retorcidos
Não podemos ser suaves
tão pouco sermos selvagens:
um carinho uma resposta
uma dúvida nos impele
ao que não se pode sentir na pele
mas expele saudade
sem derramar uma gota sequer de remorso
sem deixar qualquer rastro de vaidade


Podemos somar as nossas virtudes:
um violão pode se tornar um alaúde
Podemos subtrair os nossos defeitos
desafinar em algumas notas
a longa melodia
Podemos multiplicar os nossos interesses
e dividirmos os nossos sonhos clarinetes
sem perdermos o encanto de nossas diferenças
e o sono tranquilo de nossas inconsciências


Podemos ser
sem antes sem passado sem pauta
sem depois sem futuro sem a mão imprudente
durante agora como uma envolvente flauta
podemos ser uma canção de amor


só isso mesmo é que faz fausta falta


Podemos mesmo
sendo desafinados
juntarmos os nossos lados
e afinidades
e predestinados
à eterna felicidade


Carlos  Roberto Gutierrez

Desafinado

https://www.facebook.com/Templo.Cultural.Delfos/videos/1257869634249449/

Escolho Orquídea

Escolho Orquídea
Eu tenho todo o tempo do mundo
Eu sei cada vez mais me convenço
que eu fiz a melhor escolha
como se fosse um lenço que escolhesse
a mais comovente lágrima
como se fosse a madrugada quente
que escolhesse o mais refrescante orvalho
como se o som de um tango invadisse a sua sacada 
como se esticasse ao máximo os foles
e comprimisse os botões de um bandaneon apaixonado
Sim eu sei que fiz a melhor escolha
e sou agora qual uma folha que jamais 
quer se desprender da ´´arvore dos seus encantos 
mas se isso não ocorrer
espero cair e pousar
sobre a mais linda flor
que lembre você
que tenha o seu perfume
que mescla todas as fragrância
florais amadeiradas
verdes cítricas e temperadas
que tenhaa pétala de sua pele 
que seja então de uma orquídea
melhor ainda que seja de uma espécie rara 
esse bronze que doura todos os versos
que todo beija-flor almeja
Eu tenho todo o tempo do mundo
e a paciência de uma abelha 
que extraí o néctar de toda a sua beleza
e semeia os mais lindos versos 
Que seja orquídea
da cor do seu traje
deslumbrante
que envolve o  seu corpo
e derrama sobre o seu ombro 
e prenda e laçe
todos os meus sentidos 

Carlos Roberto Gutierrez

Poetic Model : Chris


quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Chris Lírica

Tente olhar além do que vê...
ah um poema apenas não lhe interpreta
flor predileta
fragrância envolvente
borrifada num sonho surpreendente
Tento olhar
invento um mar
procuro dentro do seu sorriso
a plena definição da palavra paraíso
Tento olhar
em profundidade as órbitas em seu planeta olhar
tento decifrar
os seus doces mistérios
olho os seus brincos
suspensos nos lóbulos
feitos cometas
Carlos Roberto Gutierrez
Poetic Model : Chris






Carlos Roberto Gutierrez
poetic Model: Chris

Chris

o seu sorriso se propaga
para os seus olhos
faróis protegidos das tempestades
pelas serenas pálpebras
seu sorriso se propaga...
e deflagra
novos versos
novos remos
surpreendentes viagens
o seu sorriso paraíso
é o cais iluminado
onde meu barco sobrevive
e por vezes se sente navio
e até mesmo um romântico transatlântico
o seu sorriso é tudo que eu almejo
que eu preciso
é o timoneiro do meu coração !!!*!!!

Carlos Roberto Gutierrez
poetic Model: Chris 

Contemplar

Contempla sobre o elevador
toda a fascinante paisagem
do mar e seus barcos capazes
de harmonizar luzes e ventos
contempla sobre o beiral ornado de arabescos
que combinam com o seu vestido
tecido em poéticas tramas
e cores de Matisse
toda essa viagem de sentidos
seja o centro
a cereja do bolo
a princesa do meu devaneio
seja o início e o fim a consequência
o meio mais favorável
de abarcar os meus versos .
seja o silencio mais lindo
que ameniza feito brisa
o meu universo
Carlos Roberto Gutierrez

poetic Model: Chris

Chris Contemporânea

aérea
antenada
plugada
de pés no chão
enraízada
ponderada
ela sabe onde cabe um arquivo
ela sabe garimpar
as mais belas palavras
os mais influentes sons
as mais impactantes imagens
ela sabe ser Dylan
e ser Aerosmith
acústica e sampler
ser o pavio e a dinamite
o meio fio e a ampla rua
ela sabe ser sol
saber ser lua
e flutua
como o mais providencial meteoro
e se faz estrela
Carlos Roberto Gutierrez
poetic Model : Chris

Salve