Luzes da Cidade

terça-feira, 28 de abril de 2009

Gangue


O sangue escorre em preto e branco
nas ruas e becos do Brooklyn
num longíquo verão de 59
o sangue que ativa o amor
a paixão
a rebeldia
e a violência
doce e amarga adrenalina da adolescência!
O namoro nas escadarias encardidas!
as palavras picantes e ardidas
beijos doces e demorados
mordidas nas linguas e lábios
nos lóbulos ávidos de primeiras intimidades...
o sangue escorre inocente
nas paredes secretas do coração...
o sangue percorre deliquente
as paredes porosas e os muros ásperos da paixão!
A gangue é ríspida
têm as suas leis próprias...
ela sobrevive em aventuras e vandalismos...
ela procura abismos em ruas planas!


Fotos de Bruce Davidson
Montagem Bernadete Maia

domingo, 19 de abril de 2009

SAFO


Eu me safo

eu me safo!

entre trapos e farrapos eu escapo!

Eu rasgo todas bandeiras

todos os cartazes

todos os rótulos.

Eu me safo

Eu me safo!

peixe fora do sarrafo!

que voltou ao mar de sonhos.

Neles eu me exponho!

e rasgo as noites de abandono!

Arnaldo Antunes

Foto de Marco Aurélio Olípio




Eu não gosto de palavras açucaradas

eu prefiro

as azedas e ácidas

aquelas que destilam todas as mágoas

aquelas que roçam as gargantas

e despertam gritos compulsivos

eu não vivo num mundo cor de rosa

o meu mundo é feito de kafkas e cacos

espinhos e cáctus

de versos concretus e exactus

eu vivo dos factus

eu vivo ARNALDO

não me cutuque

também vivo ANTUNES

Salve