Luzes da Cidade

sábado, 29 de janeiro de 2011

CUBA LIBRE SANGUE E PAIXÃO

AH esse olhar que eme enfeitiça
que desperta toda a cobiça de desejos
Buena Vista!
que jamais sente preguiça
e cada vez mais deseja sê-los
com mais requintes e desvelos
nos novelos de sonhos
que habitam noites
que apesar de todos os açoites de sombras
do negror são espelhos
e táteis diagnósticos
do nosso exato vigor
Ah! esse olhar que me fascina
que encolhe e torce a cortina
e revela em sua janela
paisagens e cenários
de uma velha e romântica Havana
Posso Vê-la dentro de um antigo Simca Chambord
com o seu imponebte e atraente rabo de peixe
ou passeando a pé lentamente
sobre as ruas tranquilas de Havana
Todo clima aromático esurpreendente
de tabaco rum e algum perfume francês sobrevivente
Passeando ao lado de casarões antigos
na simetria na magia
de um arco-íris repartido em residências e bares aconchegantes
com janelas carentes
e porto
ões sempre abertos
a românticos encontros

Havana suaviza o corpo e a mente
com a sua brisa que toca a pele
e afaga os cabelos
com a fumaça dos charutos
feitos manualmente
folha a folha enrolados
por dedos delicados e envolventes....

Havana
d e exóticos bares
e mágicos drinques
dos bancos toscos e testemunhaas
de madrugadas calientes
de orvalhos e lágrimas
de juras de amor
sóbrias ou ébrias
dos bancos das praças
que sempre merecem
banhos de renovadas tintas...

Havana
Cuba Libre
Jamais o sangue é derrubado em vão
quando ele transforma
a poça do desespero
no lagoda paixão

Havana
e os muros altos
os saltos para a liberdade
o doce vandalismo
o ódiogravado contra Batista
as fugas de Fulgêncio
a urgência de viver e amar
As declarações despojadas de amor a Fidel e Guevara
Esise tempo ninguém deseja que acabe
Acaba?
Em algum lugar ele resiste
no banco de couro rasgado de um velho Cadilacc
que virou taxi
na aba de um chapéu Panamá
nos olhos escondidos por um antigo e retorcido
óculos Ray-Ban....
no batom de vermelho-fogo acondicionado
no dourado estojo que algum turista
presenteou à garota que perpetuou
o sabor d um beijo
Nas saias compridas e comportadas
costuradas manualmente
para prender o encanto colegial
AH! ESSE OLHAR QUE ME QUESTIONA
QUE AO MESMO TEMPO
ME ENCONTRA E ME ABANDONA
ME LIVRA E ME APRISIONA
cOMO FUNCIONA TUDO ISSO?
uM OLHAR APENAS
E DESMORONA TODOS OS CAMINHOS
e satiriza
e desestabiliza todosos planos...

Ah! esse olhar que prioriza
como a Cuba Libre
no equilíbrio do rum e da cola
o pulode uma rodela de limão suícida
Ah! esse olhar
que desvia a bala da garrucha
e desafia a Lei da Balística
para salvar e eternizar Heminguay
Carlos Gutierrez



LINDA GRAAL: coxia

LINDA GRAAL: coxia: "beijando sem parar suas palavrasaté manchá-las de batomlavra palavra ele manda e eu só obedeçodesço desço"

LESMA

A LESMA MESMA DE SEMPRE
FLÁCIDA SERPENTE GOSMENTA
SEM OSSOS E ALVOROÇOS
COM O SANGUE QUE LEMBRA
GOMA ARÁBICA GRUDENTA
A VIDA EM CAMÊRA LENTA
QUEM AGUENTA? QUEM AGUENTA/
LESMA
DO CORPO GELATINOSO
QUE CAUSA ASCO E NOJO
EM SEU BOJO SUSTENTA UM CARACOL
QUANDO ENTRA
E QUANDO SAÍ EXPERIMENTA
OS ATRITOS DAS PEDRAS
OS CHUTES QUE A AFUGENTAM
O ENTRELAÇAR DAS PLANTAS
TRAIÇOEIRAS E ATRAENTES
LESMA
SEMPRE LERDA
QUE HERDA A PACIENCIA DA FORMIGA
E A RESIGNAÇÃO DA LOMBRIGA
QUE FAZ MIL PERIPÉCIAS
DIA A DIA QUANTO MAIS CRESCE
PARA SE ACOMODAR NA BARRIGA
LESMA
QUE VAGA PORTA Á PORTA
QUE SE CONTORCE E ROLA
SEM DESTINO SEM AÇÃO
COMO UMA MOSCA MORTA
O QUE IMPORTA?O QUE IMPORTA?
A PRESSA DE UMA BORBOLETA PAIXÃO
OU A PANDA PACIÊNCIA DE UM PONDERADFOR AMOR?


Carlos Gutierrez

sábado, 22 de janeiro de 2011

KAFKA

KAFKA
CORVO
ESTORVO
CORVO
EM CURVAS
SOB TURVAS NUVENS
PENAS
PENUGENS
PENÚRIAS
KAFKA
CAPTA
RAPINA RAPTA
OS MISTÉRIOS
AS LUZES E SOMBRAS
DA ALMA HUMANA
NA RIBALTA
E TODA A CONCENTRAÇÃO INSANA
DA MASSA MULTIDÃO
DAS TRAÇAS REPULSAS
E ATRAÇÕES


Carlos Gutierrez

Salve