Luzes da Cidade

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Love Me Tender - Norah Jones

On the Road

Entre o movimento e o repouso
recuo ou ouso
dispenso a amnésia da inércia
e acompanho on the road
a estrada estranha

como se fõsse o derradeiro dia da minha vida
Tenho pressa!
e não interessa
o tamanho da ferida
se bater colidir
esfolar machucar
tratarei como românticos hematomas
e prosseguirei sem leis
até que a morte me apanhe
on the road
Idas encontros Espantos
voltas e lamentos
Tudo na vida muda
e perdemos irremediavelmente o rumo
A Estrada nos atraí para um lado
e nos atira na cara
toda sorte de detritos
flocos de asfalto derretidos
lascas de borracha de pneus enfurecidos
precocemente calvos
latas contorcidas de alumínio
com gotas amargas de cerveja
sobreviventes como ácidas lágrimas
testemunhas metálicas de pequenos delitos
O tempo não nos espera
O t empo é sempre uma estrada sobre estrada
que não sabemos reta ou curva
hoje eu preciso correr feito James Dean
para absorver o seu encanto sem fim
e se alguma barreira encontrar
sem pestanejar vou desferir
on the road
um murro no desleixo
do queixo do meu destino
on the road...

Carlios Gutierrez 

sábado, 7 de julho de 2012

Joaninhas

LENDAS E CRENÇAS PELO MUNDO 




Quase todas as culturas das regiões onde ocorrem joaninhas atribuem ao pequeno besouro uma aura de sorte. Conheça algumas das lendas e crenças a elas associadas:

*Matar uma joaninha pode trazer azar e tristeza.

*Se uma joaninha pousar em você e depois voar, levará com ela suas aflições (França).

*Se uma joaninha é mantida na mão enquanto se faz um desejo, a direção para a qual ela voar, em seguida, é onde se deve tentar a sorte.

*Se uma joaninha tem mais de sete pintas, trará fome, se forem menos de sete, a colheita será boa.

*Se na primavera há muitas joaninhas voando, a colheita daquele ano será boa (Estados Unidos)

*As joaninhas trazem bom tempo (Bretanha).

*Se uma joaninha andar pela mão de uma jovem, ela se casará naquele ano (Bélgica).

*As joaninhas levam os bebês para seus pais (Suíça)

*As pintas nas costas da joaninha indicam o número de filhos destinados à pessoa em cuja mão ela pousar (Bruxelas).




*As joaninhas podem entender a fala humana, pois foram abençoadas por Deus (Ásia).

*Se uma joaninha pousa na sua mão, você ganhará um par de luvas; se pousar na cabeça, ganhará um novo chapéu (Grã Bretanha, na Era Vitoriana).

*Se uma joaninha pousa na sua mão ao entrar em casa, conte as pintas e esse será o montante de dinheiro que você ganhará em breve.

*No século 19, alguns médicos acreditavam que joaninhas curavam sarampo e dentistas usavam joaninhas esmagadas em cáries para aliviar a dor.

*Se um homem e uma mulher virem uma joaninha ao mesmo tempo, haverá romance entre eles (Noruega). 




Curiosidades:

- As joaninhas são símbolos da biodiversidade terrestre;

- Cada uma produz 500 ovos durante a vida adulta;

- Matas ciliares atraem joaninhas e outros insetos úteis;

- Em alguns casos elas são mais eficientes que os venenos químicos.

- O mundo considera a joaninha a rainha dos insetos, portadora de boa sorte e até casamenteira.

- Na agricultura, é uma pequena grande aliada do homem, altamente eficiente no combate às pragas de frutas e verduras 





Chastity Brown

segunda-feira, 2 de julho de 2012

sábado, 23 de junho de 2012

REVERSO

EU SOU REVERSO
QUANDO MUITO UM VERSO
IRREVERSIVELMENTE
DIS   PER   SO
PROCURANDO
A CARA METADE
DO AVE~~O
EM MEU INVERSO
OSREVNI
OVNI




carlos gutierrez

A CÓPIA

A CÓPIA
ACOPLA
SEM CÓPULA
A CÓPIA NÃO OPTA
COPIA
A CÓPIA PODE SE TORNAR
OUTRA CÓPIA
A CÓPIA NÃO ESCOLHE
APENAS ENCOLHE
OU AMPLIA O ORIGINAL
TODA CÓPIA É RECÓPIA
TODA CÓPIA SE OPACA
SE EMPACA
VIVE NA COLA OU NA PLACA
DE UMA XEROX




Carlos Gutierrez

CROMOSSOMOS

 como somos?
cromossomos?
como sêmens?
como átomos?
serenos ou lunáticos?
cromoníricos
cromáticos
ou como é isso mesmo?




Carlos Gutierrez

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Gasoline Alley- Rod Stewart- 1970

Gasoline Alley

Gasoline Alley
ah eu já tive esse vinil
e como tantos outros
sumiu
partiu se repartiu
fugiu das minhas mãos


desmanchou-se em cacos negros
ou quem sabe resiste ainda em um sebo
como ainda resiste e ressoa a rouca voz de Rod
A capa insinuava rebeldia gangues
atitudes atrevidas
as letras angústias solidões
procuras convulsões
e as musicas um tom de melancolia




ah eu já tive esse vinil
esse apêgo juvenil
esse cuidar esse desvelo
para não riscar o vinil
o espelho passageiro da minha alma



Carlos Gutierrez

domingo, 27 de maio de 2012

Black Bird

Há um melro
sobre uma groselheira
depois de uma manhã inteira
de voos e cantos
a tarde ele desfruta
da generosa sombra
dos doces frutos
polidas sementes
merecido descanso
do solitário melro

Black Bird
quando eu o ouço
no calabouço da minha desordem
lembro os besouros de Liverpool
cantando Black Bird em seu louvor
na lavoura arcaica no pomar
onde nasceu a groselheira
no parto de doce sangue
e que despertou pelo seu aroma
e a sua cor vermelha intensa
a Pretty Girl a usar batom




Carlos Gutierrez


quarta-feira, 23 de maio de 2012

Quero Mais

Quero mais
quero bem mais
que a realidade me oferece
mais que a prece e a pressa
todo esse transito tresloucado
quero preservar o lado adolescente
sutilmente inocente
ouvir muitas vezes a voz afável
de Patricia Marx cantar
canções de amor
sem abandonar os lados opostos
rebeldia e irreverência
drops efervescentes
Quero mais muito mais
quero ainda ler muitos livros e revistas
e sujar as minhas mãos com as notícias
de jornais
pular cadernos de política
e tabelas econômicas
Quero mais artes
suplementos culturais
quero mais muito mais
juntar clássicos com gibis
e sempre pedir Bis
para os bons sentimentos
Quero mais...




Carlos Gutierrez



segunda-feira, 7 de maio de 2012

sábado, 21 de abril de 2012

Remington

Uma Remington com o seu corpo negro e teclas brancas
 sente apêgo com os seus dedos 
mesmo quando estejam hesitantes 
e tem xamego com cada texto 
que se despreende do seu brilhante cilindro 




Uma Remington responde cada letra 
cada tipo desferido com um som batido
 imitando muitas vezes um soluçante realejo.
Uma Remington parece com um compacto piano
 com a vantagem de tecer palavras 
e deixar dormir sobre a estante um pickup fatigado




Carlos Gutierrez

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Jason Adasiewicz - Rose Garden VIBRAFONE



VIBRA
COM FIBRA
COMO UMA VÍBORA
COM TODAS AS RESSONÂNCIAS
PRÓXIMAS
INTÍMAS
OU DISTANTES
VIBRAFONE
ENTRE EM TRANSE

COM AFAGOS
OU ATAQUES ENÉRGICOS
DAS BAQUETAS ÀS PLAQUETAS
LÂMINAS DE AÇO
DESSA BATERIA PARTIDA
VIBRA
QUE TUDO SE FAZ MELODIA
CHUVA DE SONS
MESMO NA FUGAZ BATIDA
POIS TODO CLAMOR
TEM UM RUMOR DE ANOR
E TODO RITMO
EM SEU INTÍMO
REPERCUTE AGRESSOR A DOR


Carlos Gutierrez

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Futuros Amantes

Não se afobe, não
Que nada é pra já
O amor não tem pressa
Ele pode esperar em silêncio
Num fundo de armário
Na posta-restante
Milênios, milênios
No ar

E quem sabe, então
O Rio será
Alguma cidade submersa
Os escafandristas virão
Explorar sua casa
Seu quarto, suas coisas
Sua alma, desvãos

Sábios em vão
Tentarão decifrar
O eco de antigas palavras
Fragmentos de cartas, poemas
Mentiras, retratos
Vestígios de estranha civilização

Não se afobe, não
Que nada é pra já
Amores serão sempre amáveis
Futuros amantes, quiçá
Se amarão sem saber
Com o amor que eu um dia
Deixei pra você


Chico Buarque


sábado, 18 de fevereiro de 2012

Gaivota


Gaivota
solitária
segue a rota
a nau dos insensatos
e sobre os mares profundos
bate as asas de saudade
busca o seu amor azul

Gaivota
que devota o seu voo
a quem lhe faz farol
a quem lhe torna estrela


Gaivota
fadada a ser fado
bordado de sons
levando apenas um leve peso
o fardo de saudades
de um amor 
que não queremos dele ficar ilesos




Carlos Gutierrez

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Não Estou Lá








I'm Not There

Bob Dylan

Well it's alright and then she's all the time
In my neighbourhood she cried both day and night
I know it cause it was there
It's a milestone but she down on her luck
And the day makes her lonely but to me hard to buck
I believe
I believe where she stopping where she wants time to care
I believe that she'd look upon deciding to care
And i go by the lord in ways she's on my way
But i don't belong there
No i dont belong to her
I don't belong to anybody
She's my prize foresaken angel but she don't hear me cry
She's a long hearted mistress
And she can't carry on
When im there she's alright but she's not when i am gone
Heaven knows that there's an answer
She's not calling no one
She's away sailing beautiful
She's mine for the one
And i lost her hesitation
By temptation less it runs
But she don't holler me
But i'm not there i am gone
Now i've cried tonight
Like i cried the night before
And i'll feast on her eyes
But i dream about the door
So long jesus savior
Blind faith where the tale?
It don't hang proclamation
She's my own far thee well
Now i went out neath the levee
I was born to love her
But she knows that the kingdom
Waits so high above her
And i run but i race
But its not to fast a slim?
But i ll not deceive her
I'm not there i am gone
Well it's all about confusion as i cry for her veil
I don't need anybody now be side me to tell
And it's all information i can see but it's not
She's a lone hearted beauty but she's gone like the spot
And she wants
Yes she's gone like the rainbow that shining yesterday
But now she's a home beside me and i'd like to here her stay
She's a cold forsaken beauty and it don't trust anyone
And i wish i was beside but i am not there i am gone
Well its too hard to stake in
And i don't bother me
It's all bad for abusing
But she's hard too hard to leave
It's alone it's a crime
The way she wont be around
But she told for to hate me
But this long forsaken clown
Yes i believe that it's rightful
Oh i believe it in my mind
I've been told like i said when i before carry on the crying
And she's all good to told her
Like i said carry on
I wish i was there to help
But i'm not there im gone

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Os Ultimos Rebeldes

Poematização do filme Os Ultimos rebeldes de Thomas Carter

Ao som do swing
lutaremos até o fim
nesse imenso ring
contra todos os opressores
não queremos favores
Queremos ser apenas o que somos
um bando de garotos e garotas
procurando as coisas boas da vida
sons delirantes
melodias calmantes
ritmos esfuziantes
poemas profundos
telas luminosas
filmes instigantes
Temos sede de viver







sábado, 4 de fevereiro de 2012

Acossados

Poematização do filme de Jean Luc Godard




                      ACOSSADOS


Brincávamos de gato e rato
entre fugas e adiados encontros
Estávamos mais do que prontos
maduros e maleáveis
e mesmo assim despreparados
insaciáveis e insociáveis
Cometíamos pequenos delitos
administrávamos conflitos
consistências e bobagens


Brincávamos de gato e rato
olhávamos os redores
os cenários delineados
mas não ocupados de fato
Sabíamos que um gato tem  sete vidas
e um rato mil fugas
previsíveis e insólitas escapulidas
e que ambas têm paixões prematuras
nos subterrâneos e nas alturas
e se expõe nas ruas
em fogem em telhados e tubos
buracos cavidades
as suas vidas se permeiam
em descontinuidades e fragmentações
e assim o imitávamos
brincando de gato e camundongo
prá não dizer rato rasteiro repugnante
prá rimar com bongôs do Congo
ou tambores longos que interpretam banzos
1960
                          Jean Seberg


Brincávamos de felino e roedor
enquanto um mostra as garras
as unhas de ataque e furor
o outro procura um canto qualquer
no rodapé
para proteger o inocente amor
que julga ter


E ambos acossados
pela posse e pelo desapêgo
em pêlos eriçados
ou suavemente penteados pelo medo
mantinham todos os seus segredos
menos um
o desejo de encontro
em algum lugar
que possa ser incomum
um lugar que não possa incomodar
e acomodar agora e depois
o desejo de nós dois


Brincávamos de gato e rato
alternávamos as personagens
às vezes eu era o gato selvagem
dando pulos por aí
mimoso miando
quebrando telhados
enfeitiçando estrelas
às vezes eu era o o rato repelido
dando sustos por aí




Gritos inesperados
e a perseguição que parece
jamais terminar
Estamos predestinados
e mesmo acossados
sabemos que não podemos mudar
as nossas naturezas
e os nossos instintos




O gato comum
ou de raça
persa ou angorá
sempre feio será
a qualquer pássaro
e o rato apenas bonito
em um desenho animado
e a vida Tom e Jerry prossegue
em tom cinza e clima gélido da cidade




Um gato de cartola
que cometeu um recente delito
convida para assistir um filme de Godard
uma ratazana Balerina
que mora no sebo ao lado...




e nem parecem ser 
acossados




Carlos Gutierrez

Salve