Luzes da Cidade

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Poema em Forma de Cor

Abra os estojos
desperte os lápis
reaviva as cores
Abra as suas mãos
como se fossem flores
e desenhe ou então esboce
algo que está dentro
e jamais foi retratado
e se não conseguir
desenhe algo que está fora
e de encanto lhe devora
Abra os estojos
deixe que cada lápis ou giz
encontre a sua linha para seguir
Tenho tantos lápis
de todas cores
e mil tonalidades
suficientes para abraçar
muitos paisagens
e formas abstratas
que eu ainda não compreendo
Gosto de todas as cores
do amarelo intenso de Van Gogh
do vermelho sensual de Matisse
do azul melancólico de Picasso
do ocre de Braque
das cores de sonhos de Mabe
do branco e preto de Will Eisner
e mesmo sem ter uma mão hábil
ouso desenhar e pintar
para justificar esse amor antigo
pelos estojos artísticos
...quanta vezes os procurei
na folha branca do meu quarto vazio

Carlos Gutierrez


Nenhum comentário:

Salve