Luzes da Cidade

sábado, 10 de dezembro de 2011

NATIMORTO

ANDO...
ANDO...ANDO...CAMBALEANDO...ANDO...
ANDO MEIO TORTO
SEM RUMO
NATIMORTO
À PROCURA DE UM PORTO
DO FAROL DO SEU OLHAR
E DE UM CAIS ONDE EU POSSO ATRACAR
O MEU BARCO E POSSA ABARCAR
TUDO O QUE AINDA OS MEUS SENTIDOS
POSSAM PROVISIONAR
PULO UMA POÇA D!AGUA P       O
PENSANDO QUE ELA SEJA UM MAR
ANDO E DESANDO          L
ANDO CURVO
TURVO OLHAR
NATIVO DO AMOR
CATIVO DAS SUAS LEMBRANÇAS
CULTIVO EMOTIVO
O QUE AINDA SE PODE OCULTAR
ANDO MEIO CURVO
MEIO CORVO MEIO ESTORVO
E AINDA SOBREVIVO
MESMO NATIMORTO
DESEJO VIVER ESSE AMOR




Carlos Gutierrez

Nenhum comentário:

Salve