Luzes da Cidade

quinta-feira, 3 de abril de 2008

KING KONG

O primeiro filme que eu assisti em super 8 foi King Kong , quando eu tinha uns cinco anos, na casa do Tuca, na Móoca, onde eu nasci, proximo ao Juventus, clube que eu amo, todo vinho, grená e todo "moleque-travêsso"
Se até o King Kong pode se apaixonar

E se esta paixão faz um gigante desmoronar

Imagine então se ele fôsse um simples anão

o que poderia suceder?

Veja o seu olhar cheio e molhado de ternura,

o seu sorriso símio,

que nem precisa exibir os dentes fortes, brancos e resistentes

Veja os seus pêlos eriçados de felicidade

estão brilhantes!

Um King Kong com todo o seu porte e fortaleza

descobriu a sua fragilidade

e sonhou tomar os braços de uma princeza!

Colocou-a sobre a sua mão grande e negra

e experimentou o poder de um carinho.

Se até um King Kong expõe sem pudor

as suas carências e carícias;

joga fora todos os esteriótipos, máscaras e aparências

se lixando ao mundo, quando fraqueja,

acariciando os cabelos de seda da sua eleita princeza

por que eu- uma formiga comparada com a sua magnitude -

também não posso cair aos seus pés

e ser escravo dos seus encantos?

Nenhum comentário:

Salve