Luzes da Cidade

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Encontro

Foto Bel Gasparotto
Um encontro...

poderia ser tão simples

entre duas pessoas

que se encantam,

mas não é assim...

Enquanto uma se faz cigarra e canta,

a outra vira formiga e trabalha contra

porque é próprio do humano

jamais estar satisfeito...

em meio ao fogo cruzado

do divino e do profano

e o par perfeito jamais se encaixa...

como a raiz que não segura o cigano,

como não se encontram

dois sonhos dentro de um mesmo leito,

mesmo estando os corpos

disposto em um mesmo plano.



Um encontro...

poderia ser tão simples,

quanto essas duas canecas divertidas,

felizes, sem movimentos,

esperando as mãos imprevisíveis do tempo!

Vazias ou cheias,

rasas ou transbordantes,

elas apenas se encostam,

não trocam os seus líquidos,

apenas liberam as suas fragrâncias

-voláteis substâncias -

Elas apenas encostam os seus corpos de porcelana

e resvalam com muito zelo

uma à outra

para evitar o acidente

no tilintar da paixão...

a súbita empolgação...

o delírio...depois os cacos do declínio...

o sangue na ponta de um dedo distraído...

Um comentário:

Bel Gasparotto disse...

Incrível... esse poema parece que fala de algo que eu estou passando atualmente, parece algo tão próximo de mim!

Parabéns!!!

Salve