Luzes da Cidade

domingo, 29 de março de 2009

Metamorfose


Hoje eu acordei inseto
algo assim à toa
que voa a esmo
como uma folha
Acordei uma pessoa não pessoa
talvez um parafuso
um intruso
à procura de uma engrenagem
Hoje eu vesti o terno azul marinho de Kafka
e mergulhei a minha cabeça
num chapéu negro de Pessoa
Depois o tirei
e do meu cérebro caiu
uma chuva de ideias
Hoje eu acordei polvo vindo das profundezas
algo assim repleto de tentáculos
moles e escorregadios braços para abraçar
gasosas e sólidas paisagens
Acordei uma imagem arranhada
pelo recente pesadelo
da noite passada
dos sonhos passados...
em que fui outras pessoas...
outros objetos...e talvez
a minha verdadeira identidade!

3 comentários:

JuLᶖaƝ@ CArL@ disse...

Distancia do "eu"... Mergulho no mais profundo oceano...

Lice disse...

Seu texto é muito bonito!!
Porém expressa exatamente como eu me sinto neste momento...Um abraço!

Lice disse...

Amigo,hoje estou muito triste.Gosto muito dos seus textos,por isso venho sempre aqui.Será que vc poderia escrever alguma coisa para mim?Eu preciso ouvir a voz do meu coração que está confuso.Mas ñ consigo...Eu deixo o meu abraço e o meu obrigada!

Salve