Luzes da Cidade

domingo, 8 de março de 2009

PAR IDEAL

Par ideal:
seu corpo e o meu desejo
o seu olhar e a minha inspiração
a sua fantasia e o milagre da mudança da minha realidade
o seu perfume e o meu suspiro
o proibido e a transgressão!


Chet Baker e o trompete,
João e o violão,
Van Gogh e a orelha,
sangue e areia,
Gerry Mulligan e o saxofone,
Billie Holiday e a dor da solidão,
Bob Dylan e as suas extensas e intensas letras,
Vinicius e uma musa sempre refeita,
Kafka e o escaravelho,
cacos e espelhos,
lábios com cerejas,
cérebro e ideias,
sonho e prazer solitário,
pesadelo e dia ordinário!


Bob Dylan com café,
ou com cigarros Camel,
ou com um recente amor,
ou com uma fulminante paixão,
ou apenas com a nua solidão,
ou com a imaginação,
o domínio dos tempos,
a sensação de vijar sempre!
ouvir Bob Dylan e destilar os sentimentos,
experimentar os venenos da revolta,
os licores dos amores embriagantes,
Bob Dylan e a rua deserta
ou o céu encoberto por poemas!

2 comentários:

barbara disse...

Perfeito!
Tudo se encaixa prefeitamente nesse poema!
Gostei demais

JuLᶖaƝ@ CArL@ disse...

Amei esse jogo do significante remetendo ao significado da segunda estrofe... Tenho a mesma opinião que a de Barbara.

Abs

Salve