Luzes da Cidade

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Tecer a Vida

Tecer a vida
com sedas de sonhos
com sedas que excedam
as cenas mais belas
já vistas
dos mirantes, das portas e das janelas
despidas cruelmente nuas
ou irrepreensivelmente
vestidas
camufladas
Tecer a vida
e apetecer os desejos
da alma e do corpo
do líquido e do cálice
derramar
o vinho gratificante
vermelho e errante
rubi e delirante
sobre a mesa sempre muda e brilhante
não sucumbir
aos ataques de nervos
aos desígnios da paixão
ser o amo e o servo
Tecer a vida
fio a fio
com emoção
fiapos, trapos, novelos
costura-se a vida

Nenhum comentário:

Salve