Luzes da Cidade

terça-feira, 18 de novembro de 2008

REBELDYLAN


Ela não quer mesmo se encontrar comigo
diz apenas que eu sou um querido amigo
nada mais!
Ela sempre tem as suas defesas
e se mantém sempre ilesa
aos apelos dos meus versos
confessos de paixão.
Então eu...Rebeldylan! Rebeldylan!
esfrego as mãos
engulo as lágrimas
e minto que está tudo bem
que há paz plena em meu coração
e sigo os desígnios da minha inspiração...



Por que tantoRebeldylan! Rebeldylan!

se ele sabe que eu existo

que eu sou de carne e osso

sangue, lágrimas e sorrisos

se ela sabe que eu a amo tanto!

se eu leio as suas mensagens

se eu vejo as suas belas imagens

que mesmo distantes

tocam tão fundo em meu coração

ela não é uma ilusão

sinto-a no tremor do meu corpo

na calma da minha alma

ela é o meu instante presente!

tudo que uma corrente pode prender

ou libertar!


Eu tenho o seu corpo em papel
o seu rosto em algumas imagens
que, quando as vejo,
parecem tocar a minha pele
e encher o balde do meu poço de desejos,
mas logo eu caio...
não vejo as pontiagudas pedras
no desmaio das horas da realidade...
então esfrego a minha vontade
na contenção...então...eu
Rebeldylan! Rebeldylan!
procuro uma canção...

Nenhum comentário:

Salve