Luzes da Cidade

domingo, 9 de novembro de 2008

Viver Poeticamente


Eu odeio o dinheiro

odeio o consumo

o trânsito inteiro

as garras do volante

e dos engarrafamentos

nem sei dirigir

Eu vivo poeticamente

- pés na terra,cabeça nas nuvens -

Eu procuro a Arte

em todo o tempo

em toda parte.

Eu odeio o vil metal

as poses e posses

os rótulos e rodeios

a encenação inteira

não sei mentir!

Eu não preciso de tanto dinheiro

de tanto conforto

eu sou o meu próprio porto

para o meu navio de sonhos

Eu vivo o meu próprio abandono!

Eu vivo poeticamente...

carrego milhares de músicas em meus ouvidos

milhões de poemas em minha mente

milhares de paisagens em meus olhos

milhões de beijos em minha boca!

milhares de asas em meus sonhos!

milhares de pétalas entre os meus dentes!...

A flor só cobra o carinho da minha mão

com os dedos obedientes.

Eu vivo poeticamente
porque eu só carrego tu em meu pensamento
um choque adolescente
que me faz renascerE isto me basta
afasta a negra realidade de Gothan City
e me enche os bolsos morcegos de balas de encanto,
molha o meu lenço de gotas de amor
e, quando o passo em minha testa,
sinto toda a festa que é só real,
quando eu te encontro!
Me sinto Coringa prá satisfazer teus desejos.
Eu vivo poeticamente...e pronto!
Sempre pronto para te ama

Nenhum comentário:

Salve