Luzes da Cidade

sexta-feira, 11 de março de 2011

Ataduras

Por favor amor
retire com calma
as ataduras do meu rosto
sem pressa
as compressas nas arestas dos meus olhos
Quero lhe causar a melhor impressão
Você já reparou que eu tenho olhos novos
sem sombras de passado
que os meus cabelos ainda despertam desejos
de doces afagos pelos seus dedos magos
Retire com calma as ataduras
quero sentir os seus dedos
e a polidez das suas unhas
Todas as veladuras e desvelos
das suas mãos cirúrgicas e ciganas
que na verdade foram as reais responsáveis
pela plástica que tornou a minha pele elástica
para demonstrar o quanto a amo 
e posso desafiar todas as leis estáticas
Só você amor sabe
sobre a minha nova identidade 
Só você pode ser a minha verdade
o cigarro no canto da minha boca
o olhar cínico Bogart
que se faz arrogante contra a vida medíocre
e a paixão distante
Em você eu fujo e me encontro
meu subterfúgio
e meu exílio no paraíso
doce interlúdio
que se propaga em seus lados lúdicos
e se aquieta em beijos úmidos
sobre a garoa que escoa
da sua refrescante lembrança
Por favor amor
retire com ternura
as ataduras da minha face
e não disfarce o seu encanto
ou a sua repulsa
só não seja indiferente
espelho ausente
ao meu coração que por você tanto pulsa
e tenta se projetar em meu recente rosto
em meu doce...doce gosto 
de viver um intenso amor


Carlos Gutierrez

Nenhum comentário:

Salve