Luzes da Cidade

sexta-feira, 18 de março de 2011

Mais e Melhores Blues

Poematização do filme " Mais e Melhores Blues" de Spike Lee


A vida é  mesmo um eterno garimpo
Buscar os dias dourados
Os momentos que valem ser lembrados:
A primeira audição do Empire Burlesque
os primeiros objetos de desejo
a camisa xadrez azul flanelada de Dylan
a essência do pinho silvestre italiana 
em minha inocente pele
a calça Lee de veludo cotelê grafite
a cigarreira de prata
o isqueiro Zippo brilhante
a lapiseira tcheca Toison Dor
com o seu delicado apontador embutido
a caneta tinteiro Pilot violeta
os papos de esquinas agitadas
o debruçar de sentimentos
sobre as mesas brancas e redondas
da lanchonete "La Gôndola"
o encanto de despojadas garotas
O Junkbox abrigando
baladas românticas
os olhares e esquivas
os focos e equívocos
as tábuas e pontes
a recompensa dos suores
das horas de sono e sonhos perdidos
interceptados por estudos
e leituras de chumbo




A vida é mesmo um garimpo incessante
filtrar passar tantas vezes na peneira e na penúria
os nossos atos para que eles possam de fato
dar-nos sentidos ou mesmo sintomas
e concretizar nossas vontades
Rascunhar passar a limpo
e estar preparado
Sangue frio on the rocks
para que a folha de papel
esteja branca vazia apática
sem nada desolada
para ser rasgada e amassada
e depois jogada num canto ou lata de lixo qualquer
Ainda bem que existe a música
ela tonifica as palavras
e afasta tolos silêncios
tonifica as palavras
até as mais desanimadas
Um blues deve ser assim
um som azul que espalhe o céu:
repleto de estrelas
sobre nossos escuros caminhos
um blues deve ser assim
um som azul que esfria
a fogueira das vaidades
Ninguém foge da melancolia de saber
que um belo dia
seremos pó cinzas e mais nada
e dissolveremos em átomos saramagos
Spike Lee produziu e dirigiu"Os maiores e Melhores Blues"
Denzel Washington interpretou o trompetista Bleek Gillian
o Harlem também ferve em sons
que varam as madrugadas
nas boates sustentadas por brancos
e amarelos de olhos puxados
Os negros estão sobre o palco
é negro também o piano
são negras metade das teclas
e tão dourados os instrumentos de sopro
um amarelo ouro digno de Van Gogh


Bleek perdeu boa parte da sua infância
sofreu implacável e severa materna vigilância
em contraponto com a sua paterna instância
e desde cedo aprendeu que um blues é assim:
Olhar o céu muitas vezes
mesmo num temporal hostil
para encontrar o perfeito azul
Um blues deve ser assim:
sutil como lavar um estimado jeans
esfregando-o sobre pedras dos rios do velho Oeste
enquanto conversa aventuras com Tex
ou num tanque caseiro
ouvindo um velho rádio portátil
nem sempre com as ondas sintonizado
até atingir o perfeito índigo blue


Um negro dentro da noite parece tão azul
quando sobre ele incidem as luzes do palco
O trompetista Bleek
domina os três pistões do seu instrumento
com a arrogância merecida
bem oposto do que ocorre em sua vida sentimental
duas mulheres que dividem o seu coração:
Índigo e Clarke
uma que é conforto outro que é arrebatamento
uma que se faz porto seguro outra um barco inseguro
no meio do mar
com o tempo uma irá vingar
enquanto a outra será fisgada
pelo saxofonista Shadow Handerson
e os dois deixarão de ser sombras
Shadow será lider de uma banda
e Clarke realizará o sonho de ser cantora
Shadow assim como o seu instrumento
dispunha de mais chaves
para lograr os seus intentos




As mulheres...Ah! as mulheres
algumas são românticas
outras oportunistas
mas todas querem segurança
é prório do sexo feminino
Elas gostam mesmo de fortes abraços gorilas
de presentes cartões e laços
e palavras de impacto
pactos de sangue e
promessas na pele


Assim como é inerente ao ser humano
durante o seu tempo incerto de vida
travar brigas sem nexo
por motivos fúteis
e ganâncias insensatas
Brigas conjugais
brigas de banda
brigas de rua
todos esses conflitos demandam muito tato
e diplomacia
como o trato no instrumento
que após algum tempo de uso
e virtuose abuso requer
a limpeza meticulosa de cada peça
o encaixe perfeito de cada componente




As relações humanas enfim são complexas
mesmo aparentando simples remessas
de emoções baratas e promessas feitas às pressas
As relações dos amantes
dos artistas com as plateias
dos amigos que não conseguimos mudar
mesmo com todas as evidências
Bleek sabe muito bem disso
vivenciou e compartilhou as agressões
físicas e psicológicas sofridas pelo seu melhor amigo
o seu melhor amigo chamava-se Giant
era o empresário fracassado da banda
Talvez Giant fôsse um poeta enrustido
tímido para declarar os seus versos
Giant era um jogador compulsivo
daquelas pessoas que desejam a todo custo
satisfazer os apelos da alma e do corpo
daquelas pessoas que querem vivenciar
um amor verdadeiro




Mas a apresentação deve continuar
dentro do clube noturno
e se infiltrar até mesmo nos buracos das ruas
Alguns estão realmente ouvindo as suas músicas
sorvendo os mais e melhores blues
outros não estão nem ouvindo
tão imersos em seus próprios problemas
e comprometedores silencios




Universos paralelos
quem se exibe
dá as caras
dá as cartas
e quem assiste perplexo?
Tudo arde e crepita
nas fogueiras das vaidades
e o dono da boate não é imune
dentro de sua sala covarde
fumando o seu legítimo charuto cubano
desfrutando da sua lareira portátil
sem provocar fumaça
e manchas nas paredes surdas
cada vez mais engorda a sua conta bancária
e se envaidece com o que os seus paraísos fiscais lhe oferecem
enquanto que os músicos imploram algumas migalhas a mais
para as suas essenciais excentricidades




Bleek
quando beija o seu instrumento
revira os seus sentimentos
Bleek
divide as mulheres em notas musicais
e improvisa todo o tempo
aumenta e sofistica o seu repertório
em sua conturbada vida real
Ele sabe que deve ter poucos amigos
fugir dos chupins e bajuladores
e se envolver apenas com sólidos amores
Tem que evitar ou fugir das brigas
das intrigas favores e prováveis extorsões
preservar os seus lábios os seus dedos
a sua embocadura...
Saber que a vida sempre será dura
mas haverá sempre um blues para amortecer


"







 


Nenhum comentário:

Salve