Luzes da Cidade

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Tempestade - Ouvidos para Ouvir

Tempestade - Ouvidos para Ouvir

Tradução Livre

A lua rosa pálido em sua glória
Fora da cidade ocidental
Ela narrou uma  triste história
Do grande navio que afundou

'Era no dia catorze de abril
Sobre as ondas ela embarcou
Vela içada para amanhã
Para a idade de ouro anunciada

A noite da viagem foi iluminada com a luz das estrelas
Os mares eram nítidos e claros
Movendo-se através das sombras
A hora prometida estava próxima...faíscava

As luzes em nenhum momento ficaram titubeantes
Enquanto deslizavam sobre a espuma
Todos os senhores e senhoras
rumo à  sua casa eterna

Os lustres estavam balançando
suspensos os balaústres dançavam
no ritmo da orquestra que tocava
canções de amor aconchegantes

O vigia afastado do salão estava sonhando
e qual os dançarinos de salão girou os seus olhos em outra dimensão
Sonhou que o Titanic estava afundando
para fora desse mundo na ponta perfurante de um iceberg

Então o vigia Leo pegou o seu caderno de esboços
Ele que foi muitas vezes tão inclinado a suspeitar de tudo e de todos
Dessa vez fechou os olhos e pintou com a paleta dos sonhos
O cenário que se projetava em sua mente

Cupido atingiu seu peito como a ponta do iceberg no casco do navio
E o partiu com um estalo....um fulminante raio
Então ele procurou abrigo na mulher mais próxima ao seu cenário
E desconsolado caiu em seu colo ainda estranho e assustado

Ele ouviu um barulho estridente
Algo parecia errado fora das cartas de navegação
Seu espírito interior o advertia
Que ele não poderia ficar aqui por muito tempo

Ele cambaleou para o convés num conveniente tropeço
Não há tempo para dormir
Água furiosa no convés....torrente
Já com três metros de profundidade

Uma chaminé estava inclinada para um lado
Os pés pesados como chumbos começaram a bater
Ele entrou no turbilhão
olhando estupefato o céu girar ao seu redor

O navio estava afundando
A sua imponência toda fraturada
O seu cruel destino configurado
desviado de todos os anjos

Acende-se o corredor
Cintilação fraca e sem brilho
Cadáveres já flutuam
No fundo do casco duplo

Os motores de explosão no limite
Hélices impotentes que falham logo ao iniciar
As caldeiras sobrecarregadas
A proa do navio se separa

Os passageiros estavam voando literalmente
de trás, para frente de uma forma rápida e desconcertante
Ele murmurou, atrapalhou-se e caiu como os outros passageiros
Cada um mais cansado do que o último

O véu foi rasgado em pedaços
'Passavam as horas alheias à catástrofe
Sem mudanças impunes ao tempo
Nada poderia desfazer o que havia sido feito
assim como um coração perfurado pelo abandono

O vigia ali sonhando
sob uma temperatura infernal de quarenta e cinco graus
Sonhou que o Titanic estava afundando
Caindo  de joelhos esfolados

Wellington, ele estava dormindo
percebeu que a cama começou a deslizar
O seu coração estava batendo valente
E inconformado empurrou as laterais do lado

O vidro de cristal está quebrado
Jaziam espalhados muitos corpos
Ele estava preso e indefeso  mesmo entre as suas pistolas
Quanto tempo ele poderia aguentar?

Os seus homens e seus companheiros
Ficaram distantes longe de serem vistos
Em silêncio ficou não esperava
Tempo e espaço para uma redentora intervenção

A via de passagem agora era um estreito atalho
Havia escuridão no ar
Ele viu todo tipo de tristeza
Vozes ouvidas em toda parte...sussurros

Campainhas de alarme soavam
Para conter a crescente onda de pânico
Amigos e amantes agarrados
Para o outro lado  prevendo a fatalidade

As mães e as suas filhas
Descendo as escadas
Pularam sobre as águas geladas
Com amor e compaixão enviavam as suas orações

O homem rico, Sr. Astor
Beijou a sua esposa querida
Ele não tinha nenhuma maneira de saber
Se essa seria  o última viagem de sua vida

Calvin, Blake e Wilson
Apostaram no escuro o destino de suas vidas
Nenhum deles jamais iria
Viver para contar o  desembarque

O irmão se levantou contra o irmão
Em todas as circunstâncias.
Eles lutaram e mataram uns aos outros
Em uma dança desesperada e mortal

Eles baixaram as suas embarcações salva-vidas
Desde o naufrágio
Não eram traidores, houve o inevitável pânico
Costas quebradas e pescoços quebrados

O bispo deixou a sua cabine
Para ajudar a todos os necessitados.
Voltou os olhos para os céus
Disse: "Os pobres são seus para alimentar"

Davey cafetão do bordel
Saiu, dispensou as suas meninas
Viu a água ficando mais profunda
Viu a mudança abrupta do seu mundo

Jim Dandy sorriu
Ele nunca aprendeu a nadar
Viu a pequena criança aleijada
E deu o seu lugar a ela

Ele viu a luz das estrelas brilhando
Fluindo do Oriente
A morte se  consolidou em fúria
Mas o seu coração estava agora em paz

Eles fecharam as escotilhas
Mas as escotilhas não conseguiam prender
deter a avalanche
Eles se afogaram na escada
feita de latão polido e ouro

Leo disse para Cleo
"Eu acho que estou ficando louco"
Mas ele já havia perdido sua razão
Seja qual for a mente que, ele tinha
ou supunha ter nessa trágica situação

Ele tentou bloquear a porta
Para salvar todos aqueles dos danos
enquanto amostras de sangue de uma ferida aberta
Escorriam pelo seu braço
feito laço frouxo

Pétalas caiam das flores
 todos eles tinham ido embora
Nas longas e terríveis horas
vingava a maldição do feiticeiro

O anfitrião foi se despejando suavemente
Ele estava indo para baixo lentamente
Ele ficou à direita até o fim
Ele foi o último a ir

Havia muitos, muitos outros
anônimos aqui para sempre
Eles nunca navegaram sobre o oceano
Ou deixaram suas casas antes

O vigia, ele estava sonhando
O estrago já estava feito
Sonhou o Titanic estava afundando
E ele tentou dizer a alguém

O capitão, mal respirando
Ajoelhado ao volante
Acima dele, e embaixo dele
Cinquenta mil toneladas de aço

Ele olhou para a sua bússola
E ele olhou para o seu rosto
 a  agulha apontando para baixo
Ele sabia que tinha perdido a corrida

No escuro ambiente iluminado
Lembrou-se de anos passados
Ele leu o livro do Apocalipse
E ele encheu seu copo com lágrimas

Quando a tarefa do Ceifador havia terminado
Mil e seiscentos haviam ido para descansar
O bom, o mau, o rico, o pobre
A mais bela e a mais destacada

Eles esperaram no desembarque
E eles tentaram entender
Mas não há entendimento
Para o julgamento da mão de Deus

A notícia veio através dos cabos
E bateu com força mortal
O amor tinha perdido seus fogos e lampejos
Todas as coisas tinham o seu curso determinado

O vigia estava deitado, sonhando
De todas as coisas que podem ser
Sonhou que o Titanic estava afundando
Para o azul profundo do mar

Carlos Gutierrez

Nenhum comentário:

Salve