Luzes da Cidade

sábado, 26 de setembro de 2009

Melhor Hora

Esta é a melhor hora
para a bebida sobre a mesa
o cigarro entre os
lábios e o tempo brincando nas mãos.
Esta parece ser um boa hora
pra fumaça densa desenhar faces
pra imagem ser o leme na viagem
e a rota ter um destino final.
Esta é a melhor hora
para deixar a janela aberta
para o coração bater forte
para o travesseiro acolher o roer das unhas
para o descanso que ainda
espera uma revoada de sonhos.
Parece ser a hora
meia noite
noite
madrugada derretida
É a melhor hora
das luzes apagadas
a cama desarrumada,
os livros já guardados
e os sinos repousados.
É quase um sorriso
não fosse o acaso


Desirée Gomes

2 comentários:

Brunna Duarte disse...

Linda poesia... palavras de uma sensibilidade incomum.

marjoriebier disse...

Gostei daqui... vim só espiar e fui ficando, ficando...

Salve