Luzes da Cidade

domingo, 14 de setembro de 2008

Reações

Ilustração de Carlos Ferreyra


Um retorno ao poema

" Quando Não"

de Keidy Lee Jones

E eu reagiria da forma mais infantil possível

para não aceitar a sua despedida

me trancaria no quarto,

acenderia uma vela que eu esqueceria sobre a cômoda

e, esta, sem eu perceber, já pelo avanço das horas

e o entorpecer dos sentidos,

forjasse um implacável incêndio

que consumisse todos os meus livros,

todos os meus retratos, flâmulas e figurinhas

até atingir o meu corpo

e esquentar a minha pele fria

do mortal desejo de contato com a sua

que além de pele é pluma e,

além de pluma é seda

sedativo dos meus impulsos.



E eu reagiria da forma mais desesperada possível,






































lançando com toda a força contra a parede






a taça de um vinho impossível






porque a taberna já cerrou as suas portas róseas






e, as suas mesas e cadeiras maciças,






encharcadas de lágrimas e renitentes gotículas de bebidas






agora estão encostadas sobre as paredes ásperas e frias,






dormindo os seus merecidos sonos,








sonhando os seus embriagados sonhos.









3 comentários:

Keidy Lee Jones disse...

"porque a taberna já cerrou as suas portas róseas"

Eu amo tabernas... antigas mesmo, é uma pena que elas não mais existam.

Keidy Lee Jones disse...

Quando Não...

Quando não se sabe mais o que fazer,
Quando o seu assombro é a própria respiração,
Algo mudou,
Algo selou o teu próximo fim,
Você tem muitos fins.

Quando não se sabe reagir...
Não há mais nada para fazer,
Agora é se entregar, deitar e esperar,
Não restam ao menos números para contar.
Algo mudou, você se entregou e a vingança selou.

Quando seu monstro mais cruel é a tua sombra
Quando não houver o que dizer, não responda.
Quando não restar dinheiro para jogar,
É porque seus pontos se perderam.
Quando não restarem mais fichas para apostar,
Deixe a mesa e vá embora.

Quando não puder mais reagir...
Quando não puder mais responder seus questionamentos
É porque parou para pensar muito
e agora não sabe o que fazer,
Tudo vai escoar e pela correnteza do seu inimigo eu.

Laura disse...

Tout blog est un cadeaux aux yeux et au coeur, félicitations par la sensibilité et bon goût. Baisers dans ton âme…

Salve