Luzes da Cidade

sábado, 2 de janeiro de 2010

Flower in the Sun


Não resisto, desisto, revisto
Eu desvio minhas linhas que cruzam as tuas
Emudeço a boca e fecho a porta
Deito na cama de pregos
Um faquir!
imaginando o texto sincero pretexto
Tranço realidade na espera mística
Fico estática
Embarco no primeiro vôo
Sento na areia e sinto o afiar das marés
tocando minha sombra comprida
Molho o sorriso nas frases que são tuas
pelas ruas que podemos ir
Murmuro o refrão onde
nos encontramos secretamente
Sua gaita afinada traz visões de eclipse.
O regresso é mais cobiçado do que a partida.
Todos os dias, em notas musicais e saudações...
visitamo-nos
linha por linha
de tal modo, flower in the sun.

Desirée Gomes

Nenhum comentário:

Salve