Luzes da Cidade

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

BROTO

Pode o tempo passar                  
que ele jamais há de ofuscar      
a sua beleza                               
Você sempre será um broto        
a expectativa da flor mais linda  
a pista de pouso das borboletas  
o repouso das suas asas              
Você está mesmo um broto         
o meu olhar maroto não vacila    
e quando lhe vê                          
brilha mais do que paetê            
em noite de Carnaval sem chuva 
nos trajes sumários das passistas 
ou no relicário da porta-estandarte
O seu brilho vem de dentro           
do esplendor de sua sensibilidade 
Eu sei...eu sei...                           
desde que entrei                           
na Sociedade dos Poetas Mortos     
e encontrei seus vivos versos         
- sentimentos manifestos -             
suportes para outras mortes          
Desfolhei  e encontrei as suas pétalas
senti o seu perfume                       
folheei os seus segredos                 
e encontrei na flor aberta do seu ser
mais um surpreendente broto         
que se renova na terra                    
adubado pelos seus escritos            
e silencios diluídos                         
Poxa você está mesmo um broto!    
Um bombom de licor                      
nas mãos de um garoto                   
mpossível não lhe olhar                  
e flertar os seus encantos               
ouvir a sua doce voz que ne trouxe
paz e inquietude                              
o coquetel da maturidade                
misturada à juventude                     
Você está mesmo um...glub...glub...
broto..glub...glub...que enrosco      
no jardim da minha garganta           
                                                       
                                                       
Carlos Gutierrez                               

Nenhum comentário:

Salve