Luzes da Cidade

domingo, 29 de março de 2015

Charleston Contemporâneo

Charleston Contemporâneo 

Desejos não se proíbem
apenas exaltam-se
e embaralham todos os sentidos
como um charleston frenético
que dançam nos olhos de um soldado
que se desespera em enfrentar a primeira
e talvez a ultima guerra...
um desejo não se encerra
pode ser inibido
espremido diluído no gangster whisky
ouro líquido que evapora nos dias e noites
de Lei Seca de confrontos e traições...
Um desejo só um desejo não traí a si mesmo...
e o charleston eufórico perdoa todos os abstêmios...
O charleston termina no salão
mas em quantos cérebros ainda gira
suspira e inspira
pálpebras cinzentas das bailarinas
dançarinas da noite que Degas não pode retratar
saem exaustas segurando uma nas outras...
misturando perfumes brincos tiaras piteiras e
toda sorte de presentes oferecidos por homens
que já nem lembra mais...
assim é o charleston
um salto sempre a frente
como se o futuro só o futuro poderia trazer o melhor presente...
subir as escadarias
como se subisse nas nuvens
morder a maçã com a fome de Eva
tudo que leva aos extremos
o fogo de um ardente beijo
ou a neve que escorre de um gelado olhar...
assim é o charleston
que faz girar copos solitários
e vulneráveis candelabros
que fazem gritar mudas cadeiras...
O charleston faz esquecer...esquecer...
todas as depressões o impiedoso 29
e famigerados macartismos
o charleston faz delirar e
desequilibrar todos os sentidos
como um brinquedo insólito nas mãos de um menino
que não conhece as suas engrenagens
e o trata como se fosse um passarinho
voando tão livremente
O charleston é isso o preservar da juventude
ter ciência do ridículo
tentando a transformar em virtude...






Charleston Contemporary

Desires do not prohibit
only extol
and shuffle every way
as a frantic charleston
dancing in the eyes of a soldier
that is desperate to face the first
and perhaps the last war ...
a desire does not end
can be inhibited
squeezed diluted in gangster whiskey
Gold liquid evaporates in the days and nights
Prohibition of confrontations and betrayals ...
A desire only a desire not betray yourself ...
and the euphoric charleston forgives all abstainers ...
The charleston ends in the lounge
but how many brains still turns
sighs and inspires
gray eyelids Ballerinas
Night Degas dancers who can not picture
leave exhausted holding in each other ...
mixing scents earrings tiaras and cigarette holders
all kinds of gifts from men
already not remember more ...
so is the charleston
always a leap forward
as if the future only the future could bring the best gift ...
climb the stairs
how to come up in the clouds
bite the apple with hunger Eve
all it takes to extremes
the fire of a burning kiss
or snow that flows from an icy stare ...
so is the charleston
which turns lonely cups
vulnerable and candelabra
they do scream seedlings chairs ...
The charleston makes one forget ... forget ...
all the merciless depressions 29
and notorious macartismos
the charleston is delirious and
unbalance every way
as an unusual toy in the hands of a boy
you do not know your gear
and treat it like a bird
flying so freely
The charleston this is the preserve of youth
be aware of the ridiculous
trying to turn because 

Carlos Gutierrez
foto Bruce Davidson...

Nenhum comentário:

Salve