Luzes da Cidade

domingo, 29 de março de 2015

Old Times News Emotions

Sou ainda aquele jeans invejado
de tempos atrás
que chegava engomado e desajeitado
de corte e modelo tradicionais
cinco bolsos básicos
e rebites dourados
além do botão de pressão
do jeans...do jeans...
que quanto mais se usa e se lava
na chuva nas pedras
ou no tanque áspero da casa
se torna mais confortável
de vestir e olhar
Eu ainda sou a tonalidade azul
índigo blue
que quanto mais se desbota
e disputa nas pernas
com o couro cru das botas
os caminhos sem fim
as aventuras desoladas ou gratificantes
mais se torna atraente e regenerador
depois da dor de uma queda
ou após o sorriso num salto sem juízo
qual um banho quente 
nos aposentos de um saloom
mesmo fora de um ofurô
com o aparato rústico de uma bucha macia
ainda carregada de sementes negras 
em seus densos fiapos interiores
que eliminam todas as toxinas e
impurezas da pele recente de longas trilhas
e impregnam em nossas epidermes
perfumes de paisagem que deixamos para trás
Sou ainda aquela lanchonete com ares rebeldes
barulhenta e efervescente
a muzzarela esticando-se dentro do lanche
seduzindo o paladar e os dentes
em contraste com o chicletes delirante
dentro da sua boca irreverente
que se faz fonte
da pedra do meu maior desejo
Sou a pimenta em excesso em seus olhos inocentes
que derruba em seus ouvidos
os desejos mais inconfessos e prementes
Sou ainda o canudo que sorve o milk shake
para saciar a gula que estrangula
um desejo mal resolvido
Sou a groselha que se espalha 
sobre o sorvete
e imita o sangue de um poeta
que se congela
quando fica frente a frente com a sua musa amada
e apenas grita com os seus olhos embaçados
pela chapa quente que está ao seu lado
fumegante
desafiando as mãos do lancheiro e da garçonete
Sou o guardanapo que absorve a gordura
o beijo amarelo da mostarda
as salivas lascivas de sedes fomes e vontades
de misturarem-se ao batom vermelho
que veste os seus lábios
Sou o paradoxo da juventude
o descrente e o ortodoxo
as atitudes e as extravagâncias
toda a ganância de viver e provar cada segundo
o desejo de ser livre
e ao mesmo tempo apaixonado
Desgarrar-se ou ser agarrado
Sou a ficha ou quando não tenho grana
o clips culpado que engana o Junk Box
e lhe oferece a mais romântica canção!



I'm still that envy jeans
long ago
arriving starched and clumsy
cutting and traditional model
basic five-pocket
and gold rivets
beyond the push-button
the jeans ... the jeans ...
that the more one uses and washes
in the rain on the rocks
or tank rough house
become more comfortable
dress and look
I'm still the blue hue
indigo blue
that the more it fades
dispute and legs
to hide the boots
paths ending
Adventures desolate or rewarding
becomes more attractive and regenerator
pain after a fall
or smile after a jump out of my mind
what a hot bath
in the chambers of a Saloom
even outside of a hot tub
apparatus with a rustic bush soft
still loaded with black seeds
lint in their dense interiors
that eliminate all the toxins and
impurities from the skin of recent long trails
and permeate into our skins
perfumes landscape we leave behind
I am yet to air cafeteria with rebels
noisy and effervescent
the mozzarella stretching into the snack
enticing the palate and teeth
in contrast to the gum delusional
inside your mouth irreverent
which makes source
the stone of my greatest desire
I am in too much pepper in their eyes innocent
Tipping in your ears
desires more ulterior and pressing
I'm still the straw that sucks the milk shake
to satisfy the greed that strangles
a desire unresolved
'm Spreading gooseberry
on ice
and mimics the blood of a poet
which freezes
when it comes face to face with his beloved muse
and just screams with his hazel eyes
the hot plate that is on your side
steamy
challenging the hands of lunchboxes and the bartender
I'm the napkin absorbs the grease
the kiss of yellow mustard
the salivas lewd headquarters hungers and desires
mingling of the red lipstick
you wear your lips
I am the paradox of youth
the unbeliever and the orthodox
attitudes and antics
all greed and try to live every second
the desire to be free
while passionate
Break away or be grasped
I'm the plug when I have no money
clips the culprit who deceives Junk Box
and offers the most romantic song!

Carlos Gutierrez

foto Bruce Davidson

Nenhum comentário:

Salve