Luzes da Cidade

sábado, 28 de março de 2015

Estúpido Cupido

Estúpido Cupido

Estúpido Cupido
Miro os seus olhos
onde moram
os meus sonhos compridos
que odeiam despertar
Flertes e cochichos
sombras e rabichos
onde você está agora?
Vivo mais o seu tempo/fascínio
do que as minhas horas mornas
Sinto inveja do seu delineador
gravado nos cílios
dos seus olhos brilhantes
da sombra que empresta mistérios
em suas pálpebras marcantes
Poderia ser seus óculos escuros
om ray ban que escondesse um gato escuro
e lhe assustasse como um pulo
no afã de um encanto noturno
Poderia ser o topete petulante
de um playboy
que vive no mundo livre das paixões
e dispensa qualquer gel
que ouse conter o seu jeito rebelde de ser
Revisitaria 1961
om número mágico
que pode ser lido de trás p´ra frente
em os ambos os lados
e jamais seria triste....
Um ano em que Yuri Gagarin
o pioneiro do espaço
viu a Terra do alto
e estupefato chamou-a de azul
Um ano em que Robert Zimmerman
rasgou as suas roupas
jorrou os seus versos
de amores e protestos
e fez fluir a soa música
nada preguiçosa
junto com a sua fanhosa voz
e se fez Bob Dylan
com todas ciladas e armadilhas
Um fascínio extremo
não é mesmo baby?
Acotovelados
em desejos velados
doces beijos roubados
sem o amargor de remorsos
Estúpido Cupido
que desfere as suas flechas
com a naturalidade de índios
em corações inteiros ou já partidos
e nos torna cada vez mais divididos
e submetidos aos ditames e dinamites
por razões nobres ou infames
das paixões que nos consomem
e se consumam em febres ou bálsamos
em estufados ou esfomeados desejos.



Stupid Cupid

Stupid Cupid
Eye your eyes
where they live
my long dreams
who hate waking
Flirting and whispering
shadows and pigtails
where are you now?
Live more your time / fascination
than my warm hours
I envy your eyeliner
recorded on the eyelashes
their bright eyes
the shadow that lends mysteries
in their striking eyelids
Could be his sunglasses
om ray ban that hid a dark cat
and frightened him as a leap
the enthusiasm of a night charm
It could be the tuft petulant
a playboy
living in the free world of passions
and needs no gel
who dares to hold his rebellious way of being
Revisit 1961
a magic number
which can be read back face p'ra
on the both sides
and would never be sad ....
A year in which Yuri Gagarin
the pioneer of space
seen from above Earth
stupefied and called it blue
A year in which Robert Zimmerman
rent his clothes
gushed his verse
loves and protests
and made to flow the music sounds
nothing lazy
together with his nasal voice
and became Bob Dylan
with all snares and traps
An extreme fascination
do not you baby?
Jostled
in veiled desires
sweet stolen kisses
without the bitterness of remorse
Stupid Cupid
that strikes your arrows
with the naturalness of Indians
in whole or hearts already parties
and makes us increasingly divided
and submitted to the dictates and dynamite
by noble or infamous reasons
the passions that consume us
and be consumed in fevers or balms
in stews or hungry desires.

Carlos Gutierrez

foto Bruce Davidson

Nenhum comentário:

Salve