Luzes da Cidade

domingo, 16 de março de 2008

DISCOTECA ALDO


Toda vez que eu passava

pela Galeria Oliveira Lima

eu parava em frente à Discoteca Aldo

e, cobiçava os discos e desejados álbuns

com os seus maravilhosos encartes:

Aquele do Bob Dylan que mostra em sua capa

a figura de um triste palhaço...

Aquele do Milton e do Lô Borges

em que os dois, ainda meninos,

estão sentados sobre o chão de terra

que será, talvez, o próprio local

o marco do Clube da Esquina...

Aquele dos The Beatles- Sgt'Peper's

que jamais sairá de catálogo...

O outro dos irmãos Carpenter's

sempre comportados...mas a Karen tem uma voz

que paralisa todos os meus sentidos...

como se ela interpretasse

a mesma emoção que eu sentia...

quando eu via a garota do colégio...

e tantos outros discos...

ainda intactos, sem mesmo possuir

sequer um risco de silêncio!

Via também além dos compactos simples e duplos

outros objetos de desejos...

uma gaita com o seu brilho prateado...

um par de baquetas bem torneado,

esperando descarregar o seu carinho compassado

ou a sua fúria indomável

sobre os tambores e pratos.

Havia também um violão envernizado,

esperando calejar dedos suaves,

esperando tocar as cordas das artérias do coração

de alguém apaixonado.

Eu gostava de ouvir muitas canções:

baladas de amor, quando eu, dela, me lembrava

ou rocks eufóricos, quando, ela, de relance, passava,

mas nunca tive aptidão para tocar nenhum instrumento.

A ponta da caneta não faz barulho sobre o caderno.

A tinta espalha-se sobre a folha

e revela tímidas frases

que escondem intensos sentimentos!

A Discoteca Aldo

comportava em seu limitado espaço físico

a pluralidade dos movimentos musicais

com o seu arsenal infinito de sons e sentimentos!

2 comentários:

.Noites que não dormi. disse...

"

A ponta da caneta não faz barulho sobre o caderno.


A tinta espalha-se sobre a folha


e revela tímidas frases


que escondem intensos sentimentos!"

Adorei isso!

Texto fantástico!
Acho que música é indispensável!

Adorei, muito bom!
Beijo

Marcia disse...

Lindo Poeta que me faz recordar momentos tão marcantes...imaginava que a Discoteca Aldo havia sido miragem de uma adolecência apaixonante...hoje eu tenho certeza ela existiu... e vc existiu ...não foi sonho... foi o melhor da minha realidade....

Salve