Luzes da Cidade

domingo, 6 de dezembro de 2009

CorrreDOR



Talvez você nunca me veja
nunca me perceba
jamais me cogite
eu serei uma folha ao vento
ou um guardanapo arremessado
sobre o corredor
que um dia os seus passos apressados
por ele hão de passar
sem notar que nele está gravado

um poema já borrado
fragmentado
nas mãos carentes de alguém
talvez...talvez...
o corredor sente horror
de bruscas paradas...


Carlos Gutierrez

Nenhum comentário:

Salve