Luzes da Cidade

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Prego Parafuso

A saudade é prego parafuso
Estou confuso!
com essa engrenagem do tempo!
O tumulto das horas pacientes e inquietas
Eu giro o parafuso no sentido horário
para caminhar ao lado do seu presente
depois giro ao contrário
para saber o que restou do passado
Eu prego a sua imagem na parede
vermelha gelatinosa do meu coração
Eu prego com o martelo e esfacelo os meus dedos
amassados pelo medo de não cometerem
os devidos carinhos
A saudade é prego parafuso
Finca!Corrói!
e se torna infusão
regeneração
platina nos ossos
paixão no sangue
ternura que se expande
por todos sentidos
que respondem
aos apelos de vida
lá fora!


Carlos Gutierrez

Nenhum comentário:

Salve