Luzes da Cidade

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Algazarra de Palavras

Palavras ao vento
Palavras dentro
de algum livro
ou em seu diário
em seu confessionário
manual ou virtual
ou alguma bula
ou em um desprezado panfleto
que alguém lhe deu
no tumulto da multidão
Palavras fora
derramadas nos muros
estampadas em lay-outs
Palavras ao relento
dispersas
pelo vento frio e cortante
da noite intrigante
Palavras jogadas fora
fora de hora ou providenciais
Palavras sem nexos ou essenciais

Algazarra de palavras
farras verbais
farpas orais
que ferem os ouvidos
bizarras cigarras travestidas
em signos verbais
sonhos de letras
Palavras que trazem você
Palavras que forjam imagens

Palavras de passagem
que fogem na margem do caderno
Palavras que às vezes
eu não consigo entender
que passam tão depressa
Palavras que ficam
se tonificam e se tornam poesias
Algazarra de palavras
lavra tantas frases
em prosa ou poesia
em fragmentos ou teses
Palavras excessivas
atrevidas
como as paixões devem ser
com toques picantes
rompantes errantes
Palavras carentes de sentido
que buscam outras
para conquistar os seus ouvidos
e produzir ruídos em seu coração
procurar em vão
também faz parte do caminho
a palavra fuga procura
a palavra abrigo
a palavra que eu mais desejo
está dentro do seu beijo permitido

Palavras escolhidas
pacientemente recolhidas
em um longo tempo
de reflexões e tentativas
Palavras que esmagam o cérebro
e estragam os sentidos
Palavras...palavras...
que a sua voz não trava
Palavras vindas de você
que me deixam,,,
sem palavras

2 comentários:

iris disse...

nossa muito lindo
vc ta de parabenssssssssss

Rita Encinas disse...

Palavras que tocam...palavras que chocam...palavras que marcam como tatuagens, que emocionam, que lapidam sentimentos... palavras... eu amo suas palavras!

Salve