Luzes da Cidade

sexta-feira, 24 de julho de 2009

GRILO


Estrilo estrilo
feito um grilo
que perturba
o seu sono tranquilo
e faz rever os seus sonhos
Estrilo estrilo
e mais que estrilo
estralo estrelas
e esquilo em todos os orifícios
dos seus sentidos
e sugo sangue-suga
os seus encantos
e percevejo em seus lábios
a promessa de um beijo
e mosquito em seus ouvidos
zumbidos sentimentais
e carrapato em sua pele
o tato exato do meu desejo
Estrilo estrilo
por aquilo
que ainda não foi consumado
fogos de artíficios guardados
Estrilo e pulo buscapé
tasco com raiva a biriba
ao chão quando o grilo em minha cabeça
trâvessa se espanta
daí então a borboleta
deixará de ser larva
e rodará besouro
em volta das suas pétalas libélulas.

Nenhum comentário:

Salve