Luzes da Cidade

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

BICICLETA

pedalando em palavras
Bicicleta
simples e ao mesmo tempo eclética
surge de forma discreta
ora sobre o terreno plano de uma arrojada estrada
ora sobre o terreno íngreme
de uma pacata rua quase deserta
Surge se desenvolve
pelos mágicos aros móveis
apoteose estética
num exercício solidário com o ciclista
que determina o ritmo
impõe as marchas
e define a pista
Bicicleta
a simplicidade em comunhão
com um complexo de peripécias
mecânica atleta
com seu esguio garfo
imponente quadro
intrépidos pedais
responde com graça e leveza
a aderência do tapete de asfalto
e a aspereza concreta das pedras
e abstrata dos buracos
cavidades densas de perigos
saliências do fascínio do Destino
Bicicleta
leva sobre seu selim
sempre um menino
não importa a idade
juventude sem fim
e sobre ele leva
sempre um sonho
não importa a realidade
e deixa atrás de si marcado
um estreito rastro paralelo
um caminho livre
para quem sabe em um outro sonho
ainda mais belo
encontrar o seu elo
e possa dentro da realidade
singelo
prosseguir

Nenhum comentário:

Salve