Luzes da Cidade

domingo, 20 de janeiro de 2008

Patty a Vida Prossegue

Bem amigo Dylan, voltamos à realidade
pés no chão, temos que prosseguir,
cumprir nossos destinos.
Estamos vivos não?
Gostou da exposição?
Se eu pudesse entraria numa das belas telas
profundas de Fernanda Rodante
e não mais retornaria
ao sujo, chato e hipócrita cotidiano.
Vivo por viver...e vão passando os anos...
Se eu estivesse perdido, agora, nas profundezas
de uma tela de Fernanda Rodante
eu encontraria, com certeza, o mundo que eu gostaria de viver.
E se desse mais sorte ainda encontraria a doce Patty que eu não quero nunca esquecer.
E consumado o encontro eu seria corajoso pelo menos uma vez na vida
para declarar todo o amor que eu sinto por ela.
Dylan, meu amigo porque demorei a lhe encontrar e ser como você é; sem papas na língua, sem medo de expor e fazer jorrar todos os sentimentos.
Minha vida seria bem diferente, amigo,
tendo o abrigo do doce olhar de Patty.
Eu seria mais aplicado nos estudos,
mais consequente na minha conduta e atitudes e
mais tolerante só para não perder Patty em nenhum instante.
Mas a vida não é como a gente quer.
A vida é uma luta desigual contra o tempo,
é um adaptação constante às circunstâncias e distâncias
nem sempre complacentes.
Dylan, só temos a imaginação a nos defender.
O saguão da exposicão tem o seu horário de abrir e fechar
fui abruptamente arrancado da tela,
mas esqueci lá o meu coração chorando lágrimas vermelhas.
A vida prossegue...

Nenhum comentário:

Salve