Luzes da Cidade

sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

DESEJO

Eu desejo que cada palavra deste poema, baby
quando você ler deixasse de ser apenas palavra
jogada ao vento para se converter em carinho
que cada palavra tivesse o poder de penetrar na pele
como espinho que não fere
mas apenas deixa a marca do amor que eu sempre lhe dediquei
com devoção
Tá certo! muitos vão dizer com suas vozes maliciosas:
você a desejou porque ela era a mais bonita, talvez a mais cobiçada
porque se você andasse de mãos dadas entrelaçadas com as suaves mãos dela todos iriam morrer de inveja!
É verdade isso! eu não posso negar
havia a atração o desejo de conquistar e sentir pela primeira vez
o lado perverso do ciúme
e o temor da provável perca
mas por trás disso eu soube sempre
mesmo na minha ingenuidade e inexperiência
qual era o meu lugar nessa estória
porisso eu fiquei ausente
porisso eu sempre fui um cão vadio em sua frente
o que você não conseguiu evitar, baby
foi segurar a minha imaginação
você foi a minha princeza
a minha fada
a minha Patty Duke
a minha amada
a minha mulher ideal
que eu nunca tive no plano real
mas que nos meus sonhos
esteve sempre presente
grudada no meu travesseiro
como uma obsessão
que me trouxe mais paz do que ansiedade
Eu tive o privilégio de lhe conhecer baby
e isto não acontece todo dia
é uma verdadeira loteria um golpe de sorte eu me apaixonei desde o primeiro olhar
como explicar essa encantada insensatez
como sair desse envolvente carreTEL MAravilhoso de linhas que se convertem em versos.










Nenhum comentário:

Salve