Luzes da Cidade

terça-feira, 1 de janeiro de 2008

VAGA LUZ

Vaza vaga luz
me seduz
me conduz
me reduz
reduto de brilho
eu que já fui filho do Sol
Fogo no céu Arrebol
hoje sou da sombra
- madrasta sem lustre
embuste de trevas
- traves no meu caminho sem trevos
túneis sem fim
Vaza vaga luz
lâmpada de Aladim
dilate teu brilho
- divino quilate Querubim
e põe fim nesta escuridão
Negra vesga solidão
Brilhe brilhe Aflore em luz
Aurora
escarlate amplidão
Vaza vaga luz
sejas um clarão.


dedicado a eterna Hilda Hilst



eu recomendo no Orkut conhecer a comunidade Análise das Letras de Bob Dylan, aquelas letras extensas e intensas traduzidas e debatidas.

Nenhum comentário:

Salve