Luzes da Cidade

quarta-feira, 17 de março de 2010

Ressaca das Horas

O tempo deixa traços
deixa cicatrizes
frustrações
só agora eu pude ver o seu retrato
desfrutar o seu sorriso
contemplar os seus olhos lindos
O tempo o tempo é ingrato e impreciso
os ponteiros do relógio
cruzam os braços
e nem ficam arrependidos
Vou beber essas horas mornas
na fornalha do meu desespero
e tentar quebrar o gelo
descobrindo a sua imagem refletida
nos cubos que giram sobre a bebida
dentro de um copo estremecido...
por que eu não lhe encontrei antes
por que eu fui ontem em seu amanhã?
Ah! ressaca das horas
que deplora o meu sonho de outrora
que estilhaça o cálice de cristal
que continha o seu doce beijo que eu não pude provar!


Carlos Gutierrez

Nenhum comentário:

Salve